NO AR AGORA
E-mail
contato@radiowebkadosh.com.br
Ligue e partícipe
(21) 9 9211-2744
NOTÍCIAS

COVID-19 X TOMBOSE

Pacientes vitimados pela COVID-19 podem ter trombose até quatro semanas após recuperação, aponta uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular.

A embolia foi identificada cerca de 39% dos pacientes que procuraram um consultório de  Angiologia durante a pandemia da COVID-19 no Brasil em 2020.

A orientação é para que as pessoas que forem infectadas pelo coronavírus, procurem assim que possível um especialista Vascular para exames preventivos e se for o caso iniciar o mais rápiodo possível o tratamento da trombose evitando assim a coagulação do sangue.

O cirurgião vascular Ivan Benaduce Casella, membro da Comissão de Tromboembolismo Venoso da entidade relata: "Já foi estudado e comprovado que chega a ser três vezes maior a incidência de tromboembolismo venoso em pacientes com Covid-19 severo, mesmo quando comparado com outros pacientes graves em ambiente de UTI [Unidade de Terapia Intensiva], mas que não possuem a doença infecciosa".    

Alerta:

O cirurgião vascular e responsável pela pesquisa sobre a relação entre os eventos trombóticos e a Covid-19, Marcelo Calil Burihan, completa dizendo que a trombose pode ocorrer pelo processo inflamatório causado pelo vírus. Ele afirma ainda que os casos de entupimento das artérias tiveram um grande aumento em decorrência da Covid-19.

“Muitas obstruções arteriais de membros superiores [braços, antebraços e mãos] estão ocorrendo em maior proporção, assim como dos membros inferiores, que normalmente já são mais frequentes. Os sintomas mais comuns nesses casos agudos são dor lancinante [pontadas, fisgadas internas], frialdade e palidez da extremidade acometida”, explica. 

Matéria: Jornalista Augusto Profeta - Reg. MTe: 381.130/RJ

 Revisora editorial - Gisele Profeta, Reg: MTe: 40.324/RJ

Fonte: CNN Brasil